Conteúdo exclusivo sobre mercado imobiliário

Financiamento

Crédito imobiliário com IPCA: veja o que você precisa saber sobre o assunto

23/09/2019

Crédito imobiliário com IPCA: veja o que você precisa saber sobre o assunto

Recentemente, uma mudança no financiamento imobiliário foi lançada pela Caixa Econômica Federal (CEF). Trata-se de uma modalidade voltada ao financiamento de imóveis, cuja correção das parcelas é feita com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — ou seja, o crédito imobiliário com IPCA.

Ela gera impactos na aquisição de imóveis a médio e longo prazo. Por isso, é importante entender como funciona para, na hora de comprar o seu bem, você estar ciente de como ocorrerá o pagamento dele.

Neste post, buscamos responder as principais dúvidas que podem surgir a respeito do tema. Acompanhe!

O que é o IPCA?

O IPCA é o índice oficial da taxa de inflação no Brasil, que tem a finalidade de apresentar a variação de preços e serviços voltados ao consumidor final. Esse indicador é calculado e divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, ele serve como meta a ser seguida pelo Banco Central do Brasil.

Com a mudança, como ficará o crédito imobiliário com IPCA?

Antes, os contratos de crédito imobiliário eram corrigidos pela Taxa Referencial (TR). Na Caixa Econômica, por exemplo, a taxa de juros nos contratos que seguem essa modalidade considera a TR mais um percentual em torno de 8,5% a 9,75%

A opção com IPCA, por sua vez, conta com o acréscimo de porcentagens menores. Veja alguns casos:

  • para clientes da área pública, a correção mínima será de IPCA mais 2,95% ao ano;
  • para clientes do setor privado, a porcentagem se inicia com o IPCA mais 3,25% ao ano;
  • para quem não tem relacionamento algum com a CEF, a correção será de 4,25% anuais mais o IPCA. Aliás, essa também será a taxa máxima para os enquadrados nas duas opções anteriores.

Além disso, há critérios que devem ser seguidos para a contratação do crédito imobiliário com IPCA. No Sistema Financeiro de Habitação (SFH), essas alterações contemplam imóveis que custam até R$1,5 milhão e que permitem o emprego de FGTS.

No Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), a nova modalidade se aplica para imóveis que valem mais do que R$1,5 milhão e que não podem ser comprados com o uso de FGTS.

Em relação ao tempo de financiamento imobiliário, os contratos confeccionados com base na tabela SAC só podem ter um período de até 360 meses, sendo que a quantia máxima financiada é de 80%. Já no caso da tabela Price, esse prazo é de, no máximo, 240 meses.

O comprometimento de renda do interessado não pode ultrapassar 20% de seus ganhos. Na tabela Price, o limite é de até 15%. Atualmente, considerando os contratos ajustados pela TR, essa porcentagem é de até 30%.

A mudança é positiva?

Nesse caso, a mudança pode ser positiva, a depender de seu planejamento e do que deseja. Por exemplo, o crédito imobiliário com IPCA possibilita o pagamento de parcelas menores no início. Porém, o montante final pode ser até 13% maior quando comparado aos contratos ajustados pela TR. Na última década, a inflação média medida pelo IPCA ficou em 5,85%, enquanto a TR média foi de 0,82%.

Por outro lado, a modalidade com IPCA pode facilitar a comercialização de créditos no segmento financeiro, desenvolvendo a securitização de carteira e tornando realidade o acréscimo de recursos para a compra do imóvel próprio no país. No entanto, essa opção é mais instável do que a TR, sendo mais suscetível às oscilações na economia nacional.

É bom lembrar que, antes de escolher uma das opções, a pesquisa de outros índices usados no financiamento imobiliário, em suas diferentes etapas, se faz necessária. Por exemplo, após a expedição do Habite-se, costuma-se utilizar o IGP-M. Na Living, os imóveis lançados antes de junho de 2019 usam esse indicador como base. Porém, para os imóveis lançados após junho do mesmo ano o IPCA será o indexador do crédito imobiliário.

Lembre-se de se informar o máximo possível sobre suas características e sobre as condições oferecidas pelo banco em que contratará o crédito!

Que tal compartilhar este post nas suas redes sociais? Dessa forma, seus contatos também poderão saber sobre essa nova modalidade de crédito imobiliário!