Conteúdo exclusivo sobre mercado imobiliário

Bem Estar e Decoração

Manual para quem vai morar sozinho: TUDO o que você precisa saber

20/02/2018

Manual para quem vai morar sozinho: TUDO o que você precisa saber

Quem decide morar sozinho precisa se preparar para enfrentar uma série de mudanças. Isso porque, além de trazer uma rotina diferente, essa importante decisão também costuma vir acompanhada da necessidade de adquirir um imóvel.

Como qualquer outra experiência, comprar e administrar a própria casa ou apartamento é um processo que traz vantagens e desvantagens.

Para começar com o pé direito, acompanhe as informações deste manual e saiba tudo o que precisa para curtir a nova moradia sem apertos!

Como realmente é morar sozinho?

No começo, algumas coisas podem não sair como o planejado — e isso é completamente normal. Portanto, para que você não tenha surpresas, continue a leitura:

Mais responsabilidades

Sair de casa para encarar a vida sozinho exige que você tenha autonomia e se responsabilize por inúmeras atividades. Essa mudança pode ser mais difícil para quem não está acostumado a tomar decisões sem a colaboração de outras pessoas.

Na nova rotina, todas as ações devem ser executadas pelo proprietário da casa, e isso inclui o pagamento das contas, contratação de serviços, preparo das refeições, limpeza dos ambientes, entre outras tarefas cotidianas.

Aumento das despesas

Viver sob o teto da família permite que qualquer pessoa economize um bom dinheiro. Logo, a situação muda bastante quando você decide se mudar para um imóvel sozinho. A partir daí, é preciso se programar e custear itens e serviços básicos, como transporte, alimentação, produtos de higiene, entre outros.

O impacto também vem com o aumento das despesas mensais, afinal, mesmo quem se livra do aluguel precisa pagar contas como a prestação do apartamento, IPTU, água, luz, gás, internet e TV por assinatura. Esses valores devem ser somados aos gastos com farmácia, supermercado, gasolina e serviços em geral.

Mudanças e adaptações

Todo tipo de mudança exige um período de adaptação — e a duração desse processo pode variar de uma pessoa para outra. Em geral, aqueles que experimentam a possibilidade de morar sozinho pela primeira vez podem demorar um pouco mais para se acostumar com a rotina.

Muitas coisas só são aprendidas na prática — quando a pessoa já se encontra inserida na nova realidade. Portanto, tenha calma quando for passar por essa experiência. Com o tempo, é possível se familiarizar com as tarefas diárias e definir o tempo adequado para a realização de cada uma.

Sobraram algumas vantagens?

Sair de casa pode até resultar em mais despesas, responsabilidades, alguns momentos solitários e na saudade de pessoas queridas. Apesar disso, são situações que fazem parte da vida adulta e que, por incrível que pareça, podem trazer mais benefícios do que você imagina. Veja, a seguir, algumas das vantagens de morar sozinho:

Atividades exclusivas

Quem divide a moradia sabe que nem sempre é possível conciliar os próprios horários com toda a família ou colegas de apartamento. De uma maneira ou de outra, as ações de um morador acabam interferindo na rotina dos demais.

Imagine como será bom determinar a hora exata de cada tarefa, sem precisar consultar outras pessoas.

Mais tranquilidade

Uma casa cheia de pessoas obviamente é mais barulhenta do que aquela habitada por apenas um morador. E quem estuda para provas e concursos ou quem trabalha em home office sabe que desfrutar de momentos sozinhos é uma grande vantagem, afinal, o silêncio facilita a concentração e ajuda a manter o foco.

Nos momentos em que você se sentir sozinho, nada o impede de convidar amigos e familiares para uma visita ao local de moradia. Com a possibilidade de programar esses encontros, você se mantém disposto e com energia de sobra para aproveitar a companhia das pessoas queridas.

Moradia personalizada

Num lar só seu as regras serão definidas por você, mas é claro que quem opta pela locação de um imóvel precisa estar de acordo com as definições do contrato, alinhadas com o proprietário. Já no caso de condomínios, existem regras gerais definidas por todos, que zelam pela boa convivência.

Além disso, há a questão da decoração. Compor e organizar ambientes de acordo com o seu estilo é, talvez, a maior vantagem de morar sozinho. E não importa se é uma grande casa ou um pequeno apartamento, afinal, qualquer cantinho pode ser personalizado e adequado às suas necessidades.

Depois da mudança, você pode colocar em prática diferentes ideias de decoração, exibir artigos colecionáveis ou pertences pessoais e trocar os móveis de lugar quando tiver vontade. Tudo para deixar o lar com a sua cara!

Por onde começar seu planejamento?

Conquistar um lar só para você exige organização e planejamento financeiro. E isso vale para muitos objetivos, como obter independência, cursar uma faculdade ou até mudar de vida.

Veja, a seguir, como se organizar para morar sozinho:

Guardando dinheiro

É delicado sair de casa sem ter uma reserva financeira. Antes de qualquer coisa, você precisa economizar o suficiente para dar entrada no imóvel ou pagar seguro fiança, custear o serviço de mudança e adquirir o básico — móveis, eletrodomésticos e acessórios para a residência.

Além disso, vale poupar uma quantia necessária para passar alguns meses no novo endereço. Esse montante de reserva poderá salvá-lo em qualquer emergência e, ainda, bancar serviços contratados. Uma planilha é ideal para colocar o planejamento financeiro em prática, e você pode montá-la em um caderno ou no computador.

Avaliando o local de destino

Visite e pesquise sobre o local que abrigará sua futura moradia. Essa etapa é fundamental para conhecer melhor as características do bairro, mesmo se ele se estiver localizado na mesma cidade em que você vive atualmente. Se possível, pergunte a moradores locais sobre a segurança, a qualidade de vida e a infraestrutura da região.

Esse tempo dedicado às pesquisas e visitas vai ajudá-lo a ter uma noção sobre o custo de vida no local de destino. A partir disso, você poderá estabelecer um orçamento mínimo para bancar a experiência de morar sozinho. Nesse momento, procure definir um valor limite de preço de imóvel, levando em conta a sua condição financeira e suas prioridades. 

Pesquisando opções de imóveis

Existem diversas opções de imóveis no mercado, e escolher a melhor pode levar algum tempo. Para começar, pesquise em portais imobiliários para alugar ou comprar. Nesse caso você pode optar por comprar na planta ou pronto. Lembre-se de filtrar empreendimentos de acordo com a faixa de preço, a localização e o tamanho desejado.

O que você precisa levar em conta antes de se mudar?

Quem decide morar sozinho precisa dispor de muita organização pessoal para conciliar trabalho, estudo e os cuidados com a casa. Para saber se você está preparado, faça alguns testes antes da mudança e, se possível, converse com quem já passou por essa experiência.

Veja o que você deve considerar nesse momento:

Uma nova rotina será necessária

Muita gente acredita que viver sozinho é uma forma de se livrar da temida rotina, mas isso não é verdade. Como qualquer família ou grupo de pessoas, você também precisa estabelecer alguns horários para as atividades. Sem esse cuidado, dificilmente conseguirá cumprir as obrigações e realizar seus programas favoritos.

Para aproveitar seus dias ao máximo, anote em quais momentos você é mais produtivo — e também aquelas horas em que é mais desligado. Defina quando vai cozinhar, lavar roupas, fazer compras no mercado e pagar contas. Aos poucos, verá que é possível começar a nova rotina com o pé direito e manter tudo organizado.

A moradia precisará de manutenção constante

Quem não está habituado a cuidar dos serviços domésticos se assusta ao ver como é fácil sujar uma casa. Se esse é o seu caso, saiba que mesmo moradias habitadas por uma única pessoa exigem manutenção frequente para que fiquem em boas condições.

Além das atividades de higiene, é importante lembrar que o imóvel requer manutenção preventiva para garantir que continue como novo por muito tempo. Veja alguns exemplos:

Pisos

Não é só uma questão de estética ou de dar boas-vindas a quem chega, o capacho é também uma parte útil da casa. É ele que impede que partículas de areia ou outro material áspero estraguem o piso. O tapete na entrada evita que o assoalho ou carpete de madeira risquem.

Outro segredo é não deixar cair água sobre o piso. Como sabemos que isso pode acontecer, a dica é que a limpeza ocorra imediatamente para não causar manchas.

Pintura

Sem dúvida é o acabamento mais comum. Para uma boa manutenção, alguns cuidados são necessários. O primeiro deles é nunca deixar a sujeira impregnar. Assim que sujar, utilize um pano macio com água e sabão neutro.

Para manter as paredes do imóvel sempre em bom estado, refaça a pintura a cada três anos.

Cortinas

Elas têm mais utilidade do que se imagina. Além de decorarem a casa, protegem o mobiliário contra os raios ultravioleta, capazes de desbotar estofados e tapetes e danificar móveis.

No caso das persianas, a limpeza pode ser feita a cada dez dias com um aspirador de pó ou espanador. Já a tela solar e a tela de tecido sintético vêm com uma resina antiestética que dificulta a aderência do pó ao material, por isso recomendamos que uma vez por mês passe um pano úmido bem torcido e uma lavagem profissional uma vez ao ano.

Outros

Os itens que citamos acima são apenas alguns. Lembre-se que você deve fazer constantemente a limpeza do sifão de todas as pias e tanques, manutenção do rejunte, cuidados periódicos com instalações elétricas e etc.

É possível equilibrar os custos morando sozinho?

Muita gente se pergunta quanto custa morar sozinho. A resposta é: depende. Embora os principais valores sejam definidos pelas contas mensais, é fato que as atitudes e hábitos de consumo do morador também contribuem para os gastos totais.

Com base nisso, podemos afirmar que é possível equilibrar os custos morando sozinho. Para atingir esse objetivo, algumas escolhas e mudanças são necessárias. Veja abaixo as melhores dicas para economizar dinheiro:

Investir em lâmpadas eficientes

O preço acessível das lâmpadas incandescentes não compensa o gasto com energia no fim do mês. Para diminuir o consumo, invista em modelos mais econômicos e duráveis, como as lâmpadas fluorescentes ou de LED.

Apagar as luzes ao sair dos cômodos

Se você está na sala vendo filme, não tem motivos para deixar os outros cômodos iluminados, certo? O hábito de apagar a luz toda vez que sair de um ambiente pode fazer a diferença na conta mensal.

Tirar aparelhos sem uso da tomada

Desligar o computador, televisão e outros aparelhos sem uso é uma ótima estratégia para reduzir o consumo de energia. Porém, você pode potencializar a economia se retirar esses equipamentos da tomada e evitar o modo stand-by.

Priorizar produtos com selo Procel A

Quando for às compras em lojas de eletrodomésticos, prefira aqueles itens que têm o selo Procel A. Essa certificação é dada para os modelos com os melhores níveis de eficiência energética. Assim, você garante uma economia no consumo de energia.

Fazer lista de compras de supermercado

A tradicional lista de compras ajuda a manter o foco somente no que é necessário dentro do mercado. Evite comprar a mais e estocar alimentos na despensa ou na geladeira. Ao comprar mercadorias desnecessárias, além de aumentar a chance de desperdiçar alimento, você acaba gastando mais dinheiro do que deveria.

Reduzir o consumo de água

Tome banhos rápidos e, se o clima permitir, desligue o chuveiro para ensaboar o corpo. Essa atitude é valiosa porque economiza água e energia elétrica. O volume recolhido da máquina de roupas pode ser reaproveitado na descarga do banheiro e na lavagem de calçadas e varandas. Outra ação que evita o desperdício de água é desligar a torneira enquanto lava a louça e escova os dentes.

Qual é a melhor lista de compras para quem irá morar só?

Você sabe o que é preciso para morar sozinho? Mesmo quem tem a sorte de levar alguns pertences da casa dos pais precisa custear elementos que são essenciais para uma vida confortável. Listamos alguns itens básicos em diferentes categorias. Confira:

Móveis e eletrodomésticos

Mobiliar uma casa do zero custa caro, então, é necessário priorizar alguns itens. Para cada cômodo da casa, existem móveis, utilitários e eletrodomésticos que são essenciais:

  • quarto: cama e guarda-roupa;
  • sala: sofá e rack;
  • cozinha: geladeira, mesa e fogão;
  • lavanderia: máquina de lavar roupas e varal de teto ou de chão.

Com o tempo, você poderá guardar dinheiro para adquirir produtos e eletrodomésticos complementares que combinam com o estilo de decoração da sua residência.

Utensílios e acessórios

  • cozinha:
    • jogo de panelas e frigideiras,
    • talheres, faqueiro, copos e taças;
    • assadeiras, pratos rasos e fundos;
    • abridor de latas, saca-rolhas, peneira;
    • colheres para cozinhar, concha, escumadeira;
    • escorredor de arroz e de massas, escorredor de louça;
    • forminhas de gelo, potes de plástico com tampa;
    • lixeiras, saleiro e açucareiro;
    • panos de prato, toalha de mesa e jogo americano.

 

  • área de serviço:
    • vassoura, balde, rodo, escovas para limpeza;
    • pá de lixo, flanelas e panos;
    • cesto para roupa suja, prendedores de roupa.

 

  • banheiro:
    • conjunto para guardar escova de dente e creme dental;
    • jogo para guardar sabonetes e shampoos.

Enxoval

É preciso investir em mais de um item, para o caso de você receber visitas — e também para trocar as roupas de cama e de banho com frequência.

Nos quartos, você vai precisar de:

  • protetor de colchão;
  • 3 jogos de fronha e lençol;
  • edredons e cobertores.

Já em relação à roupa de banho, considere:

  • 2 ou 3 toalhas de banho;
  • 2 toalhas de rosto;
  • 2 jogos de tapete.

Deu para perceber que morar sozinho é bom e não precisa ser um processo complicado, certo? A partir de agora, salve as dicas desse manual e use-as como ponto de partida para planejar a compra do imóvel e a mudança!

Quer ajudar outras pessoas a passar por essa experiência? Então compartilhe este post nas suas redes sociais!