Conteúdo exclusivo sobre mercado imobiliário

Seu apartamento

4 dúvidas que você pode ter sobre visita coletiva à obra

23/08/2019

4 dúvidas que você pode ter sobre visita coletiva à obra

Ao adquirir um apartamento na planta, ou em construção, é comum que o proprietário fique ansioso para saber se está tudo bem com as etapas da obra. Além do mais, para que um imóvel fique pronto é preciso de um tempo considerável, principalmente para que esteja em conformidade com o projeto previsto e tenha boa qualidade. Para diminuir essa ansiedade e tranquilizar o futuro morador, existe a chamada visita coletiva à obra.

Durante a sua realização, é possível conferir o status da construção, como o empreendimento está ficando, o que falta para ele ser concluído, entre outros pontos. Porém, esse processo também costuma gerar dúvidas, tanto sobre o imóvel quanto sobre o funcionamento da própria visitação.

Para solucionar os principais questionamentos, preparamos um rápido guia composto no formato de perguntas e respostas. Continue lendo e confira!

Entenda o que é uma visita técnica coletiva e a sua importância

Antes de passarmos às dúvidas principais, é preciso entender o que é uma visita técnica coletiva. Basicamente, é quando a construtura reúne os proprietários dos imóveis em construção e os leva para um passeio em torno da obra, para que possam conferir como o empreendimento está ficando. O evento é uma boa ocasião para que os clientes vejam de perto o seu Living, fazendo com que diminua a ansiedade para até a entrega.

Adriana Cerveira, líder de uma das equipes de atendimento ao cliente na Living, é uma das responsáveis por acompanhar uma visita à obra. Nela, a etapa de visitação tem um papel essencial para uma boa relação com os futuros proprietários.

“Nós falamos com eles logo após a compra, durante um evento de entrega de contrato e de assembleia de afetação. Porém, ficamos um longo período sem vê-los e sem ter contato com eles”, explica.

Nesse caso, a visita técnica coletiva é “um evento para que possamos novamente nos aproximarmos deles e para que eles possam amenizar as expectativas olhando a obra em si, vendo que a coisa está caminhando”, destaca. “Por mais que a gente disponibilize fotos mensais da construção no Portal do Cliente, estar ali, olhando e pisando na obra, é outra sensação”.

4 dúvidas mais frequentes sobre a visita técnica coletiva

1. Como funciona a organização da visita em relação a horários?

Em relação à organização do evento, Adriana explica que a equipe realiza a visita em um dia, com diferentes horários e turmas.

Isso é feito para que não haja um boom de clientes de uma vez e, assim, seja possível dar atenção suficiente aos participantes de cada grupo. “Criamos aproximadamente uma turma a cada uma hora”, comenta. “O cliente chega, toma uma café e vai fazer um tour pela obra”.

2. Quais funcionários participam do tour pela obra? Tem alguém com quem tenho contato?

“O tour é sempre acompanhado por uma pessoa do relacionamento com o cliente e uma pessoa de engenharia”, explica Adriana. Com a participação de ambos, é possível responder a diferentes dúvidas que surgem durante a visita, como:

  • itens que os clientes viram no stand de vendas, mas não constam na unidade analisada;
  • se é possível quebrar uma ou outra parede para avaliar a qualidade do material ou os sistemas internos (elétrico, hidráulico);
  • onde ficam determinados objetos, como o shaft — aberturas verticais na construção, por onde passam tubulações de instalações hidrossanitárias, como água quente, fria, ventilação e esgoto;
  • qual foi o método construtivo empregado;
  • se o imóvel será entregue com a estrutura necessária para ligar/instalar telefone, internet, ar-condicionado etc.;
  • questões financeiras relacionadas a boletos e temas ligados a outras áreas do negócio.

3. Quais são as diferenças da visita coletiva em relação à vistoria do imóvel?

“A diferença é que na vistoria o cliente olha a sua unidade. Ele vai com as chaves dele, entra, analisa o seu imóvel e aprova a vistoria”, responde Adriana.

Por outro lado, na visita coletiva, o cliente não confere a sua unidade. “Abrimos uma unidade modelo de cada metragem ou da planta”, explica ela. “O cliente olha uma unidade similar à que comprou”.

O imóvel dele só será verificado no momento da vistoria. A exceção ocorre caso coincida de a unidade escolhida ser a de um proprietário que esteja fazendo a visitação no dia.

No prédio, há grande chance de o cliente que adquiriu um imóvel no primeiro andar ser essa pessoa. “Normalmente, pegamos as unidades do primeiro andar porque os visitantes sobem de escada”, comenta Adriana.

Para não gerar uma falsa expectativa sobre o imóvel a ser visitado, a equipe da Living avisa com antecedência os clientes que a observação será em uma unidade modelo.

4. Quando ocorre a visita técnica coletiva?

As visitas acontecem entre 8 e 10 meses antes da entrega do empreendimento, no momento em que a obra já está em fase de acabamento. Geralmente é a etapa mais longa da obra, pois é quando os detalhes são trabalhados.

“Nesse período, já temos certa estrutura para o cliente olhar”, destaca Adriana. “A construção está mais segura e temos que fazer a visitação para não ficar muito próximo do momento da vistoria”.

Conheça as regras básicas para fazer uma visita técnica coletiva

Existem alguns procedimentos básicos de segurança que devem ser seguidos durante a visita coletiva da obra a fim de garantir a segurança dos clientes. Há, inclusive, uma estrutura preparada para isso no local.

“Delimitamos exatamente o percurso que o cliente fará dentro da obra para que ele não se disperse e vá para outros locais que não estão liberados”, explica Adriana. “Cercamos com gradil e tem sempre gente da equipe da Living espalhada pela região para orientar os nossos clientes”.

“Nós pedimos para que eles não circulem sozinhos pela obra, somente acompanhados pela nossa equipe”, destaca. Além disso, existem algumas orientações que precisam ser seguidas:

  • ir de calça comprida e sapato fechado;
  • não levar crianças, por uma questão de segurança;
  • utilizar os capacetes fornecidos no local para maior segurança.

“De 70% a 80% dos futuros moradores participam da nossa visita coletiva. É um evento que tem um quórum muito alto”, afirma Adriana. “Acho que justamente pela expectativa de estar lá e olhar, o retorno do evento é bastante positivo”.

Desse modo, a visita coletiva à obra acaba se tornando um momento importante para o futuro morador, que poderá ter uma ideia melhor sobre como ficará o seu imóvel depois de pronto. Além do mais, também conhecerá alguns dos seus futuros vizinhos, com quem conviverá no condomínio. Por esses motivos, e os outros já apresentados anteriormente, é importante participar desse evento.

Está pretendendo adquirir um apartamento na planta? Preparamos um artigo especial com um passo a passo para fazer isso. Não deixe de conferi-lo!