fbpx

Aprenda a trabalhar texturas na decoração

Todo mundo já teve a experiência de entrar em uma casa, ou mesmo um escritório ou espaço comercial, e perceber que tudo se harmonizava de maneira incrível. Um dos elementos decorativos que mais pode ajudar nisso é o das texturas.

Por isso decidimos escrever este artigo, com dicas bem bacanas sobre como trabalhar esses elementos na decoração de interiores. Siga adiante para aproveitar melhor.

O que exatamente são as texturas?

Hoje em dia já não se fala apenas em textura de massa ou de parede, ao contrário do que pensam alguns. É preciso levar em conta também os panos que podem ser texturizados com vistas à decoração, tais como:

  • O tapete;
  • O estofado do sofá;
  • A cortina;
  • As almofadas;
  • Os quadros.

Além disso, ou justamente por isso, a textura também não remete apenas à visão, como era quando se limitava às paredes. Atualmente ela pode lidar com o tato, como a experiência que um tecido rústico para cortina pode gerar ao ser tocado.

Portanto, mais do que criar um ambiente harmonioso, esse assunto é importante para deixar um ambiente mais rico, ao ponto de despertar sensações e até mesmo emoção nas pessoas que vão viver nele, ou apenas frequentar o local.

Além disso, a textura precisa combinar com outros elementos que podem compor o ambiente, como os móveis e os eletrodomésticos, entre outros.

Explorando panos, móveis e até objetos

É sempre importante levar em conta a função do cômodo ou ambiente, como modo de poder definir qual o efeito exato que as texturas devam dar para o local.

Atualmente existem vários profissionais que podem ajudar nessa área, tanto que um conceito que tem crescido muito é o de paisagismo residencial. Ou seja, as casas têm uma decoração e uma harmonização cada vez mais profissional e complexa.

Um modo bastante diferenciado de começar algo assim é levando em conta as almofadas, que podem ser da sala de estar ou sala de televisão, mas também dos dormitórios. Uma tendência é a de cruzar texturas diferentes.

Uma dica de ouro aqui é usar como apoio um elemento que unifique a escolha, como uma cor principal (que pode variar para outras de tom menor, mais próximas na paleta), ou então um tipo de textura principal, mudando apenas na direção da estampa.

Hoje também é comum aplicar tecidos diferentes no mesmo sofá, não apenas nas almofadas. Há várias empresas que trabalham com revestimento de estofado, caso você queira fazer isso em uma peça que já tem em casa, sem precisar comprar outra.

Mais uma dica na mesma linha: o uso de sisal, que é uma peça de fibras naturais, que dá um charme puxado para o rústico. O sisal pode contrastar com o moderno e o retilíneo, e ainda ir bem em objetos, como banquetas, puffs e até quadros.

Como enriquecer paredes e superfícies?

Quando se fala em paredes e superfícies afins, entramos em um universo de possibilidades. Basta espiar o catálogo de qualquer empresa de pintura de apartamento para verificar que, de fato, foi-se o tempo que bastava escolher uma cor, pintar, e pronto.

Agora as possibilidades são infindáveis, e podem ir desde pinturas texturizadas até revestimentos em 3D. Ou seja, tridimensionais.

No primeiro caso, temos aplicações mais convencionais, mas que ainda assim podem ter uma enorme variedade de estilos, tais como:

  • Grafiato;
  • Chapiscado;
  • Ranhura;
  • Quadriculado;
  • Espatulado;
  • Riscado.

Além de valorizar o ambiente, é super prático aplicar esses materiais, que são todos desenvolvidos à base de massas corridas, manipuláveis com espátulas, rolinhos específicos e ferramentas do tipo. Depois, é possível pintar por cima, com qualquer cor.

A inovação dos revestimentos 3D

Por fim, os revestimentos tridimensionais que citamos. Eles são cada vez mais comuns em nosso país, e trazem infinitas possibilidades de combinação e texturização de superfícies.

No caso clássico das texturas temos produtos que podem ser considerados uma extensão da própria superfície, como as massas corridas mencionadas, ou até um revestimento cimento queimado, que pode dar efeito de parede manchada.

Já aqui a proposta é mais disruptiva: trata-se de placas que são feitas para cobrir a superfície, mais ou menos como se fossem papel de parede. Mas como elas têm alto e baixo relevo, dão o efeito desejado de tridimensionalidade.

Embora sejam muito mais aplicadas em paredes, também é possível decorar o teto, e até mesmo os muros (com placas especiais, para ambientes externos). A variedade de relevos, estampas, cores e texturas é enorme, o que traz outro benefício.

Com isto chegamos ao fim, deixando claro como trabalhar texturas na decoração de um ambiente pode ser algo divertido, acessível e bastante vantajoso para um ambiente.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.