fbpx
Conteúdo exclusivo sobre mercado imobiliário

BEM-ESTAR

Saiba como cuidar de plantas medicinais em seu apartamento

08/10/2020

Saiba como cuidar de plantas medicinais em seu apartamento

Já pensou em ter plantas medicinais no seu lar? Não? Saiba que você está perdendo uma grande oportunidade. Isso porque esse tipo de espécie não só enfeita, colore e personaliza a decoração do seu lar, como também, pode ser consumida e usada de diferentes formas para que você e sua família tenham mais saúde física e mental.

Ficou curioso em saber como cultivá-las e se elas demandam muito trabalho, tempo e dinheiro? Acompanhe o post, que vamos contar tudo a respeito dessas plantas e, de quebra, deixar você inspirado para começar a sua própria horta. Confira!

Quais são os motivos de ter uma horta medicinal no apartamento?
Ter plantas medicinais no seu apartamento tem um impacto muito grande na sua qualidade de vida, por conta do efeito fitoterápico delas. Tanto é que, ao ingeri-las, ter contato com elas ou mesmo inalar as fragrâncias delas, é possível tratar e aliviar os sintomas não só de mal-estares e machucados, mas também, de diversas doenças.

Não é à toa que essas plantas viram tempero para alimentos, chás, incensos, sprays, pomadas, produtos para banho, e por aí vai. Portanto, se você cultiva diferentes espécies em casa, pode economizar com os gastos em remédios, bebidas prontas e itens de higiene.

O melhor de tudo é que elas são vendidas por preços bem em conta, são fáceis de cuidar — especialmente, porque muitas são de porte pequeno — e você não precisará dedicar mais tempo a elas do que gasta com as plantas decorativas, por exemplo.

Como planejar a minha horta?
“Depois de ler sobre os motivos para cultivar plantas medicinais, estou mais certo do que nunca que também quero ter uma horta na minha casa. Porém, por onde começar?”. Essa é uma pergunta comum e você também deve ter essa dúvida. Por esse motivo, reunimos algumas sugestões que vão ajudar você a se organizar para colocar esse desejo em prática. Veja!

Considere o espaço disponível
O primeiro passo para ter um jardim em casa é levar em conta a estrutura do imóvel e o espaço disponível nele para ter uma ideia da quantidade e o tipo de plantas medicinais que você pode ter. Por exemplo, pessoas que moram em apartamentos espaçosos e com áreas ao ar livre podem aproveitar cômodos que estão desocupados, ambientes conjugados que têm um canto sem uso ou, então, destinar a varanda ou a sacada para esse fim.

O legal é que, como esses locais têm uma boa área livre, dá para cultivar um número de espécies, incluindo as que são de médio e grande porte. Aliás, o estilo de decoração urban jungle pode servir como inspiração para cada um deles, viu? Por outro lado, quem mora em lares pequenos precisa ter sempre o cuidado para não desperdiçar a metragem dos recintos.

Nesse caso, uma boa solução é apostar em uma mini-horta, que pode ser cultivada verticalmente nas paredes — por meio de treliças ou prateleiras — ou no chão, com uso de um cavalete ou jardineira. Porém, por conta dessa particularidade, a quantidade de espécies deve ser reduzida e o foco deve ser naquelas de pequeno porte.

Plante o que você gosta e precisa
Já para escolher quais plantas medicinais você vai cultivar, não tem segredo: é só refletir sobre aquelas que você já consome no seu dia a dia e quais pretende inserir na sua rotina.

Por exemplo, você gosta de tomar chá de boldo para melhorar a digestão, usar babosa nos rituais de beleza e fazer aquele escalda-pés relaxante com camomila? Então, é só incluir essas espécies na sua lista para ter em casa. Bem simples, não?

Conheça as necessidades de cada espécie
Depois de finalizar a sua lista, é hora do próximo passo: pesquisar sobre as necessidades que as plantas têm. Isso porque há algumas que precisam de pouca água ao longo da semana, enquanto outras devem ser regadas diariamente.

Há aquelas que, sem sol, acabam ficando sem vida e murchando, mas há outras que devem ficar sempre na sombra. Há, também, as que podem ser colocadas em um vaso compartilhado e as que devem ficar em vasilhas separadas.

Enfim, as diferenças são muitas e isso vai influenciar o seu ritmo de cuidados e atenção dados a elas. Por isso, o recomendado é fazer as devidas anotações em um quadro de notas e depois pendurá-lo onde vão ficar as espécies. Assim, não há perigo de esquecer nada!

Como cuidar das plantas medicinais no meu lar?
Para encerrar, também trouxemos algumas dicas úteis para você cuidar das plantas medicinais no dia a dia. Elas são importantes para evitar que as diferentes espécies murchem, estraguem ou tenham dificuldades para se desenvolver corretamente. Veja!

Mantenha a rega correta
Seguir à risca a quantidade de regas que cada espécie precisa é fundamental. Afinal, doses muito grandes de água podem deixar a terra excessivamente úmida, atraindo fungos e até, em casos mais graves, fazendo com que as plantas apodreçam.

Já doses pequenas de água e, ainda por cima, em longos intervalos de tempo, é capaz de deixar o solo seco, com rachaduras e sem nutrientes. Com isso, as plantas acabam murchando.

Pode as plantas quando necessário
Se você tem plantas de médio e grande porte (como o capim santo, a arnica e o cravo-da-índia), faça uma poda mensal nelas. Isso é importante para manter o visual delas sempre bonito e bem cuidado, além, é claro, de controlar o tamanho delas.

Identifique cada uma das espécies
Uma última dica para cuidar das plantas no apartamento é identificar as espécies que você tem com uma etiqueta com o nome delas (que pode ser grudada no vaso, por exemplo). Isso ajuda seguir mais fielmente o quadro de notas sobre as necessidades de cada uma e a evitar que você ou mais alguém da sua família acabe confundindo aquelas plantas que são muito iguais — o que pode levar ao desperdício de folhas e outras partes delas.

Depois de tudo que foi falado, deu para perceber que ter plantas medicinais no seu lar é um ótimo investimento para a saúde e o bem-estar, não é mesmo? E o melhor: está longe de ser algo complicado de se cuidar e manter. Por isso, não se prive de cultivar uma horta só porque mora no apartamento, ok? É só seguir nossas dicas que você vai saber adaptar — de forma prática e inteligente — o cultivo dessas plantas para o espaço que tem disponível.

Se gostou do post e quer ficar por dentro de outras soluções para a sua casa, é bem simples: basta assinar a nossa newsletter!


Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *