fbpx
Conteúdo exclusivo sobre mercado imobiliário

DICAS

Dicas de economia: 7 formas de reduzir conta de luz

03/09/2020

Dicas de economia: 7 formas de reduzir conta de luz

“Como reduzir a conta de luz sem abrir mão do conforto e da qualidade de vida no lar?” — esta é uma pergunta que não sai da mente de centenas de brasileiros. Afinal, é comum querer diminuir as despesas da casa e deixar o orçamento da família mais folgado para outras necessidades. No entanto, quando se trata de colocar isso em prática, muita gente fica em dúvida sobre o que fazer, adota medidas que estão longe de serem úteis e acabam, no fim das contas, gastando mais do que economizando, acredita?

Por esta razão, trouxemos sete dicas práticas que envolvem a mudança de velhos costumes e a adoção de hábitos ideais na sua rotina que realmente impactam positivamente o seu consumo de energia. Você vai ver que pequenas mudanças podem gerar grandes transformações. Ficou curioso? Então continue a leitura!

1. Aproveite a iluminação natural durante o dia

A primeira dica não poderia ser outra que não aproveitar a iluminação natural, pois quando a sua casa está bem iluminada durante a manhã e à tarde, você e os seus familiares não precisam acender as lâmpadas e luminárias. Isso se torna algo desnecessário e contribui diretamente para reduzir a conta de luz do seu lar.

Portanto, nada de cobrir ou esconder (com cortinas, biombos ou mesmo móveis) as janelas, os cobogós, as portas da varanda/sacada e os demais pontos de entrada de luz dos ambientes. Ao contrário, utilize-os ao seu favor. Lembre-se também que o sol é um grande aliado não só para tornar as residências mais claras durante o dia, mas também para secar mais rápido as suas roupas no varal e para combater qualquer possível foco de mofo.

2. Use espelhos na decoração

“E se eu tiver cômodos com janelas pequenas ou que escurecem mais rápido porque ficam do lado onde o sol nasce, recebendo menos luz direta durante a tarde? Como faço para potencializar a iluminação natural?”, você pode estar se perguntando.

Se isso acontece com você, não se desespere! Há uma solução bem simples: o uso de um espelho revestindo um móvel ou uma parede do recinto, por exemplo. O por quê disso? É que o espelho reflete os raios solares que chegam até ele. Logo, o objeto acaba duplicando as fontes de luz no espaço, o que torna o local mais claro e agradável.

3. Avalie o selo Procel ao comprar novos eletrodomésticos

Precisando de um ventilador, um ar-condicionado, um micro-ondas ou, quem sabe, uma torradeira elétrica para deixar sua casa mais equipada? Então, antes da escolha de eletrodomésticos, certifique-se de analisar o selo Procel deles. Elaborado pelo Inmetro e a Eletrobras, este documento nos ajuda a entender se o produto tem um bom custo-benefício.

Ou seja, se ele funciona bem e, ao mesmo tempo, é econômico. É por isso que ele aponta o consumo médio do produto e ainda traz uma tabela informativa mostrando se, ao ser comparado com aparelhos de outras marcas, ele é mais ou menos eficiente.

4. Tire os aparelhos da tomada

Fora a sugestão anterior, não deixe de tirar os cabos de energia dos aparelhos das tomadas onde eles estão conectados. É que mesmo não sendo usados e até passando dias desligados, eles ainda continuam consumindo energia para se manter no modo standby — que é justamente o que permite que você os ative por controle remoto ou assistentes virtuais.

Essa sugestão, é claro, não se aplica à geladeira, ao freezer ou ao bebedouro de água, pois eles são aparelhos que precisam estar ligados constantemente para resfriar bebidas e/ou alimentos. Porém, os demais eletrodomésticos, além dos eletrônicos, estão liberados, ok?

5. Fique atento ao seu tempo de banho

Você tem chuveiro elétrico no seu apartamento? Para fazer uma economia doméstica eficiente, é preciso controlar o uso deste produto. Isso porque, embora um bom banho seja relaxante e capaz de revigorar o nosso estado de espírito, ele não precisa durar longos minutos.

Quando isso acontece, você não só gasta mais água do que o necessário, como aumenta consideravelmente o consumo de energia elétrica. Logo, se você e os outros moradores perdem a hora no banho diariamente, todos os dias da semana, as contas no final do mês vão lhe surpreender — e não é positivamente!

Portanto, tenha em mente que a duração ideal de um banho é de cinco a oito minutos. Para ajudá-lo a se adaptar a esse tempo, uma boa sugestão é ativar o cronômetro no seu celular. Em poucos dias, você verá como é fácil tornar isso um hábito e, consequentemente, contribuir para evitar o desperdício de recursos naturais.

6. Invista em modelos mais econômicos de lâmpadas

A sexta dica para reduzir a conta de luz é investir em modelos de lâmpadas que utilizam menos energia para iluminar os ambientes, como o fluorescente e, em especial, o LED. Além disso, essas versões ainda são mais potentes do que as incandescentes e halógenas e podem durar de seis até 20 anos. Ou seja, você economiza energia e, de quebra, evita gastos recorrentes ao longo do ano com substituição de lâmpadas. Que tal a sugestão?

7. Tenha um cuidado extra com a geladeira e o freezer

Por fim, redobre a sua atenção e também os cuidados com a geladeira e o freezer, especialmente se você tiver os dois aparelhos em casa. A razão disso é simples: a borracha que veda as portas desses eletrodomésticos se desgasta não só com o tempo, mas também com a maneira que você a usa no dia a dia e a forma como higieniza esse material.

Quando esse desgaste acontece, a borracha se torna menos eficiente, deixando ar frio interno escapar e o ar quente da cozinha entrar. Com isso, os aparelhos passam a funcionar com uma sobrecarga no motor e a consumir mais energia para conseguir manter o mesmo grau de resfriamento (ou congelamento) dos alimentos.

Por isso, adote o hábito de, pelo menos a cada 15 dias, checar se ao fechar as portas dos aparelhos, elas permanecem fechadas, se a borracha tem dificuldades de grudar no metal e se há frestas no material por onde o ar frio sai. Assim, dá para agir com rapidez e efetuar a troca deste acessório.

Viu só como dá para reduzir a conta de luz de uma maneira bem mais prática e, o principal, com efeito cumulativo a longo prazo? Portanto, siga nossas dicas e não só tenha um consumo de energia mais controlado para não pesar no bolso, como também contribua para a sustentabilidade e um uso mais consciente de recursos naturais.

Aliás, se você tem interesse em sustentabilidade, aproveite para checar nosso post e entender como a economia doméstica pode contribuir para esse objetivo!