fbpx
taxa selic

Taxa Selic: entenda o que é e como impacta a compra de imóveis

Entender o que é a taxa Selic pode ajudar você a tomar as melhores decisões na hora de comprar um imóvel.  

Para decidir se um financiamento imobiliário vale a pena ou se é melhor continuar no aluguel, existem diversos fatores que pesam na decisão, mas, certamente, o mais importante deles é o orçamento. 

Afinal, é preciso ter uma renda compatível e, idealmente, uma entrada, que pode ser dinheiro poupado para essa finalidade ou a chegada de outros recursos, como a restituição de Imposto de Renda

Por isso, explicaremos, neste artigo, o que é a taxa Selic, como ela impacta os financiamentos imobiliários e por que é importante acompanhar esse índice. Boa leitura! 

O que é a taxa Selic? 

Também chamada de taxa básica de juros, a taxa Selic é uma ferramenta utilizada pelo governo federal para, indiretamente, controlar a inflação, o acesso ao crédito e o dinheiro em circulação no país. 

Selic é uma abreviação de Sistema Especial de Liquidação de Custódia, que é o nome de um sistema virtual em que títulos do Tesouro Nacional são vendidos e comprados por instituições financeiras, todos os dias.  

Funcionamento 

A taxa Selic é sempre definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom), que se reúne a cada 45 dias — ou seja, 8 vezes ao ano. Nesses encontros, que costumam durar 2 dias, os membros decidem se alteram ou mantêm a taxa. 

Quando o Copom aumenta o valor da Selic, o objetivo é desacelerar a economia, o que é importante para controlar a inflação e reduzir o dinheiro em circulação, já que os investidores direcionarão seus recursos para aplicações financeiras. 

Ao baixar a Selic, o objetivo é o inverso: aquecer a economia, colocando mais dinheiro em circulação e, consequentemente, ampliando o consumo e investimentos em negócios. Isso faz com que a inflação aumente, o que pode ser útil caso exista o risco de deflação. 

Impactos gerais 

Quando o Copom, que é ligado ao Banco Central, reajusta a Selic, ele não está obrigando nenhuma outra instituição financeira a mudar os juros praticados no mercado, mas a tendência é que isso aconteça.  

Isso porque a taxa Selic se refere aos juros dos papéis do Sistema Especial de Liquidação de Custódia, que precisam ser negociados para que os bancos consigam cumprir uma regra que os obriga a ter, em uma conta no Banco Central, uma parte de todos os depósitos recebidos em um dia. 

Como a taxa Selic impacta o mercado imobiliário? 

A taxa Selic é uma balizadora de todas as demais taxas de juros do mercado, e as que incidem sobre os financiamentos imobiliários não são exceção. Naturalmente, os juros que os consumidores finais pagam sempre são significativamente maiores que a Selic, pois neles, também estão embutidos impostos pagos pelos bancos, riscos de calote e uma margem de lucro variável. 

Mesmo uma pequena alteração na Selic pode impactar significativamente o custo de um financiamento, pois são juros compostos aplicados por um período de muitos anos sobre valores-base relativamente altos. 

Taxa alta 

Em um cenário com taxa Selic elevada, é natural um “congelamento” no mercado imobiliário, com bem menos operações de compra e venda, já que o acesso ao crédito é muito mais restrito.  

Isso impacta os preços, que crescem em um ritmo mais lento, e, até mesmo, a disponibilidade de imóveis à venda, já que muitas construtoras e incorporadoras reduzirão o seu ritmo para se adaptar ao momento do mercado. 

Taxa baixa 

Por outro lado, a taxa Selic baixa facilita a aquisição de imóveis financiados. Com mais pessoas comprando, é natural que a valorização seja mais veloz, e as empresas do setor invistam em novos empreendimentos.  

Afinal, o acesso ao crédito permite que as pessoas conquistem seu primeiro imóvel. Para o mercado isso é importante de duas maneiras: primeiro porque quebra a principal barreira de entrada; depois, porque facilita que, em alguns anos, com a evolução profissional e renda maior dos proprietários, os imóveis antigos sejam vendidos na busca por outro melhor. 

De que maneira posso me organizar para a compra do imóvel? 

Para quem pensa em comprar um imóvel, fechar um financiamento com taxas de juros prefixadas pode ser vantajoso, já que o custo total será menor, assim como as parcelas — e, ainda, você não terá surpresas desagradáveis pelo caminho.  

Por outro lado, quando a taxa Selic aumenta, vale a pena uma análise mais cuidadosa dos juros, para entender o que compensa mais: financiar, alugar, entrar em um consórcio ou adiar a compra. 

Além disso, quando a ideia é comprar um apartamento na planta, é necessário avaliar o momento em que o financiamento imobiliário será acertado com o banco, já que é preciso esperar a expedição do Habite-se para oficializar a transação. 

Entendeu a importância da taxa Selic para quem vai adquirir um imóvel? Aproveite e compartilhe este conteúdo nas redes sociais com seus amigos e família, para que saibam como se preparar para investir em uma casa ou apartamento próprio! 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.